Como

Oração de uma camponesa de Madagascar

Senhor, dono das panelas e marmitas,
não posso ser a santa que medita aos Vossos pés.
Não sei bordar toalhas para o Vosso Altar.
Então, que eu seja a santa ao pé do meu fogão.
Que o Vosso amor, acenda a chama que eu acendi
pela manhã, e me faça calar a vontade de gemer,
às vezes a minha tristeza.
Que eu tenha as mãos de Marta,
mas quero ter também as mãos de Maria.
Quando eu lavar o chão, lavai,
Senhor, os meus pecados.
Quando eu puser na mesa a comida,
comei também.
Senhor, junto conosco.
É ao meu Senhor que eu sirvo,
servindo as minhas crianças.

Extraído da página 107 do livro "Corações em Luz" de Régis de Morais, Centro Espírita Allan Kardec,
Departamento Editorial, Campinas - 1ª Edição- 2003